20 de outubro de 2010

O Artista



Eu sou o artista! Faço a obra e vós limpais a merda. No coração de uma mulher habitam várias camadas, e ai do homem que conseguir encontrar a infinitésima parte! Pois, se meu cabelo curto é um disfarce, tudo o mais em mim não passa da indumentária.

Da janela de vidro no interior de um carro, eu vejo a subjetividade do mundo externo que corre à medida que seguimos mais rápido. Enquanto isso, apenas tenho que seguir meu caminho antes que ele também vá embora. É somente isto e nada mais.

Por mais que não consiga sentir nada, sei que há muitas pessoas em minha volta. E dia após dia vou me tornando menos humano. Agora, cada vez mais consigo observar a humanidade de soslaio. Se fosse possível resumir o momento ao expressar tudo o que se sente pelo intermédio de uma palavra, eu diria "merda".

Tenho mais apego ao que sinto do que pelas pessoas por quem sinto. Quando a barra de rolagem cerra é sinal de que a história se repete. É tão impressionante que nem chega a me impressionar mais. Por onde passo vejo rostos sorridentes em pessoas que não sabem que estão mortas.

Um de meus amigos quase parte. E com ele, a metade da vida das pessoas que também fazem parte da vida dele. Mas o chato não é isso. O triste mesmo é ter consciência da vulnerabilidade ao enxergar dentro dos olhos daqueles que já foram embora. Eles são fundos!

De agora em diante não cabe mais a mim pensar em nenhuma coisa dessa. Eu apenas tenho que seguir o caminho. As vilezas e futilezas do acaso tentam distrair minha atenção. Mas distração mesmo eu só encontro em uma vida inteira que me serve de engodo para a grande jornada. Pois estar vivo já é um luxo e eu não posso me dar mais um obtendo uma existência cotidiana.

Vós podeis brincar em paz enquanto sou eu quem faz sentinela. Não se preocupem com nada disso, pois foi a mim incumbido tais verdades. Dancem, namorem e casem enquanto eu acerto o alvo.




Ricardo Magno

1 Comentários:

Juh Salomé de Beauvoir disse...

Morre quem vai, morre quem fica...Quem vai leva consigo um pedaço do mundo, ao levar sua vida...
Quem fica só conhece o ponto de partida, a largada inicial...quem dera o mundo tivesse a opção "reset", assim como nos games...mas só podemos iniciar uma vez, e uma vez iniciada a última coisa que se quer é alcançar a "chegada".

Beijos, teamo! ;)